Categoria: Dicas

como fazer introdução alimentar

Como deve ser a inclusão de novos alimentos na introdução alimentar?

Quando bebê completa 6 meses de vida já está apto a iniciar a introdução alimentar, que é o período de transição da amamentação exclusiva para a apresentação de novos alimentos líquidos e sólidos. Para quem ainda não passou por essa fase fica a dúvida: como deve ser a inclusão de novos alimentos na introdução alimentar?

Se você também tem essa e outras dúvidas, veja neste artigo todas as dicas e informações que você precisa saber sobre introdução alimentar.

Momento ideal para começar a introdução alimentar

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria e o Ministério da Saúde, a introdução alimentar deve iniciar após 6 meses de vida do bebê. Antes desse período, é recomendado amamentação exclusiva, de preferência com leite materno.

A partir dos 6 meses de vida do bebê já é possível incluir alimentos líquidos e sólidos em sua alimentação, respeitando as características comuns para cada fase de desenvolvimento alimentar.

Durante a introdução alimentar também é importante continuar a amamentação, pois inicialmente o bebê não consegue obter todos os nutrientes necessários para seu desenvolvimento através da alimentação. Por isso, a amamentação complementar tem o papel de nutrir a criança até que ela esteja pronta para fazer refeições em família.

Quais alimentos são permitidos na introdução alimentar?

introducao alimentar como fazer

Alimentos naturais que sofreram poucos processos são os mais recomendados. Como exemplo podemos citar frutas que podem ser dadas in natura, legumes e verduras que podem ser cozidos no vapor para preservar o máximo de nutrientes, entre outros alimentos.

A introdução alimentar deve ser baseada em uma alimentação saudável, isso significa manter o equilíbrio entre os nutrientes e oferecer alimentos naturais. Sendo assim, legumes, verduras e frutas devem estar presentes no cardápio através de preparações saudáveis.

Por outro lado, é importante evitar completamente a oferta de alimentos ricos em açúcar (sucos, biscoitos, balas e doces em geral), industrializados, frituras e embutidos.

Como deve ser a introdução alimentar?

É preciso ter alguns cuidados com a preparação e apresentação dos novos alimentos. Veja a seguir algumas dicas para ter sucesso nessa nova fase.

1. Amasse os alimentos com garfo

Pode parecer mais simples processar ou liquidificar, mas saiba que esses dois processos retiram grande parte dos nutrientes dos alimentos. Por isso, é preferível amassar legumes e frutas com o garfo, criando uma papinha cremosa.

2. Aumente a consistência

À medida que o bebê aprende a mastigar, é importante aumentar a consistência dos alimentos. Em vez de papinhas, amasse levemente mantendo alguns grãos pequenos. Isso estimulará cada vez mais a mastigação.

3. Seja paciente e não force a barra

No início pode parecer que o bebê não gostou do alimento, mas, na verdade, ele ainda não aprendeu a mastigar. Além disso, se o bebê apresentar resistência à alimentação, seja paciente. Não tente forçar a barra, deixe que ele prove os alimentos em seu próprio tempo.

4. Crie um cardápio de papinhas

Na correria do dia a dia é comum que as pessoas acabem recorrendo à papinhas industrializadas para suprir as refeições do bebê. Embora seja mais cômodo, a papinha industrializada é rica em conservantes e agentes químicos nada saudáveis. Por isso, o ideal é criar um cardápio e preparar previamente todas as papinhas. Assim você não é pego de surpresa e tem a possibilidade de oferecer uma alimentação saudável para o bebê.

5. Aprenda mais sobre o assunto

 

O maior erro que os pais podem cometer na introdução alimentar é não aprender mais sobre o assunto. Parece simples introduzir novos alimentos para o bebê, mas é preciso ter cuidados que muitas vezes os adultos não têm com sua própria alimentação. Então, se você vai iniciar a introdução alimentar, não deixe de conferir esse guia completo sobre introdução alimentar.

 

 

 

 

 

quando devo molhar minha orquidea

Quanto devo molhar minha orquídea?

quando devo molhar minha orquideaMuitas vezes, as pessoas acidentalmente molham suas orquídeas e as prejudicam enquanto tentam fazer o que acham melhor. Embora cada ambiente de cultivo seja único, e os hábitos de irrigação variam de pessoa para pessoa, geralmente é uma boa ideia regar uma vez a cada 7 a 10 dias, quando a mistura fica seca. Demasiada rega leva a podridão da raiz, podridão da coroa e outros problemas de excesso de rega, como infestações de mosquitos de fungo. Se uma orquídea não secar ao longo de 7 a 10 dias, então ela está em uma panela grande demais, a mídia está cheia demais, a panela tem orifícios de drenagem insuficientes ou há pouca circulação de ar.

Por que minhas raízes de orquídea são marrom e mole?

Ironicamente, uma orquídea pode parecer estar implorando por água (folhas enrugadas), mas está tão danificada na zona da raiz que é incapaz de pegar a água que está sendo dada. Isso geralmente é um sinal revelador de podridão de raiz. As raízes podem apodrecer e morrer quando expostas a muita umidade em uma base constante, e misturas antigas que não podem mais permitir a circulação de oxigênio podem ser as culpadas. Continuar a adicionar água à mistura molhada, velha e desgastada exacerba o problema.

Lembre-se, mistura fresca e bons potes vivem mais

Mistura fresca a cada ano é uma boa maneira de evitar problemas, e um regime de rega programado e disciplinado de rega “semanalmente fraca” com MSU ALIMENTA-ME! O fertilizante deve manter suas orquídeas em forma e saudáveis. Experimente nossos novos potes de núcleo de oxigênio para ajudar a reviver plantas que sofrem com a perda de raízes. Gostamos de regar derramando por cima da mistura até o líquido passar pelos orifícios de drenagem da panela. Usando uma bandeja de umidade sob as plantas, a vida torna-se mais fácil para nós e para nossas plantas porque podemos “regar no lugar” sem ter que carregar plantas em volta e até a pia, e não temos gotejamentos e vazamentos para enxugar. As orquídeas também se beneficiam, porque elas têm um ambiente mais úmido com o líquido evaporando sob suas folhas. É como um ambiente tropical para eles!

Pode-se determinar os níveis de umidade, aprendendo o peso aproximado de uma orquídea em vaso de plástico quando regada e quando seca. É realmente perceptível. Outra abordagem, especialmente com misturas baseadas em sphagnum, é tocar o topo da mistura. Quando parece crocante ao toque, isso é um bom indicador de que é hora de regar. Existem outras técnicas também, mas achamos as duas mencionadas como bastante satisfatórias.

Muitas orquídeas realmente gostam de começar a secar entre rega. Ao contrário das plantas de casa, elas não gostam de ficar molhadas o tempo todo e também não gostam de água derramada sobre o centro da planta, a coroa. Se a água se acumular na coroa, é uma boa ideia tentar removê-la esfregando com uma toalha de papel ou material absorvente semelhante.

Seguir estas práticas recomendadas simples deve ajudar a manter suas orquídeas felizes e saudáveis. Com cuidado, eles podem ajudar a mantê-lo feliz e saudável por muito tempo também!

Gostaram do artigo? Então deixe abaixo seu comentário!

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén